Pressione "ENTER" para buscar ou ESC para sair

Filho maior precisa provar necessidade para receber pensão alimentícia

claudiovalentin

Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu, na última semana, que filho que atinge a maioridade tem que comprovar a necessidade ou que frequenta curso técnico ou universitário para continuar recebendo pensão alimentícia.

Um filho, com quase 21 anos de idade, ajuizou uma ação contra o pai com o objetivo de cobrar pensão alimentícia no total de R$ 52.248,00. O alimentando completou a maioridade em setembro de 2010 e ingressou com a ação em setembro de 2012.

O pai alegou que o filho não comprovou a necessidade da pensão alimentícia, cobrados apenas dois anos após completar sua maioridade. Na oportunidade, enfatizou que há 10 anos não pagava pensão alimentícia para o filho.

O TJRS julgou, por unanimidade, “descabido” o argumento do pai de que seria preciso comprovar a necessidade do filho para recebimento de pensão alimentícia. O genitor recorreu ao STJ.

15215244914_d8574e15bd_k

Para o ministro Villas Bôas Cueva, relator do caso, o advento da maioridade não extingue, de forma automática, o direito à percepção de pensão alimentícia, “os quais passam a ter fundamento nas relações de parentesco, em que se exige a prova da necessidade do alimentado”, que não foi produzida no caso em análise.

“Incumbe ao interessado, já maior de idade, nos próprios autos e com amplo contraditório, a comprovação de que não consegue prover a própria subsistência sem os alimentos ou, ainda, que frequenta curso técnico ou universitário”, afirmou.

No voto, o ministro reconheceu em parte os argumentos apresentados pelo pai e determinou o retorno do processo ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul para que o filho tenha a oportunidade de comprovar a necessidade da pensão.

O advogado Rodrigo da Cunha Pereira, especialista em Direito de Família e sucessões, explica que, como apontou o ministro, não é o fato de ter completado a maioridade que cessa a obrigação alimentar. “Caso o filho consiga provar a necessidade financeira e a impossibilidade de se sustentar, independentemente da sua atual idade, é possível continuar recebendo a pensão alimentícia”, ressalta.