Pressione "ENTER" para buscar ou ESC para sair

Começa hoje a semana do Direito de Família com o advogado Rodrigo da Cunha Pereira

Ascom

Começa hoje a Semana do Direito de Família que acontecerá nos dias 26, 27 e 28 de JANEIRO às 20h. Em 3 aulas gratuitas o advogado Rodrigo da Cunha Pereira, especialista em Direito de Família e Sucessões irá compartilhar um pouco de sua experiência de quase 40 anos advogando em Direito de Família e refletir sobre como ampliar nossa visão da área aliando sempre teoria e prática.

Serão dias de aprendizado intenso com conteúdo relevante para debater ideias e pensar o novo.

Para participar basta se inscrever  gratuitamente neste link.

 

Confira a programação completa do evento:

26/01 às 20h00

AULA 01 | O que é Clínica do Direito?

Como tratar de forma humanizada as demandas do Direito de Família unindo a prática jurídica à psicanálise.

27/01 às 20h00

AULA 02 | Aplicação prática da metodologia Clínica do Direito

Saiba como aplicar as técnicas desenvolvidas pelo advogado Rodrigo da Cunha Pereira nos diversos casos.

28/01 às 20h00

AULA 03 | Construindo novas teses com a metodologia Clínica do Direito.

Como criar teses inovadoras a partir da prática em Direito de Família e dos casos que chegam em nossos escritórios.

O QUE É CLÍNICA DO DIREITO?

O exercício da advocacia em Direito de Família e Sucessões exige dos profissionais um olhar diferenciado sobre as demandas que chegam. E foi justamente para transformar em objetividade toda a confusão da subjetividade envolvida nessas demandas que o advogado Rodrigo da Cunha Pereira criou a “Clínica do Direito”, que une a prática jurídica à psicanálise e tem como objetivo tratar de forma humanizada os temas do Direito de Família. Além de advogado, Rodrigo da Cunha é um estudioso da psicanálise que o ajuda a repensar aspectos mais “duros” do Direito, constituindo cases de sucesso e soluções inovadoras para as demandas dos clientes.

Não é preciso ser psicanalista para ter uma atuação mais eficaz. Basta estar comprometido com a ética do sujeito e da responsabilidade. Para isto é preciso considerar que na objetividade dos atos e fatos jurídicos permeia uma subjetividade que também determina os processos judiciais. O sujeito de direitos é também um sujeito desejante.

Uma nova ética para a prática da advocacia em Direito de Família e Sucessões significa demonstrar ao cliente as tramas envolvidas nos processos e evitar que eles se tornem uma montagem perversa, e um desrespeito com a vida privada de cada uma das partes. É esta nova ética da advocacia, proporcionada pela compreensão do discurso psicanalítico, que conduz o advogado a uma direção em que o nosso escritório passa a ser também uma “Clínica no Direito”.