Pressione "ENTER" para buscar ou ESC para sair

Advogado participa do II Seminário Direito e Arte, em Salvador

claudiovalentin

Na próxima sexta-feira, dia 4, o advogado Rodrigo da cunha Pereira, especialista em Direito de Família e Sucessões, participa do II Seminário Direito e Arte:interfaces entre razão e sensibilidade, na Universidade Salvador (UNIFACS).

Na ocasião o advogado vai fazer uma reflexão de como a Arte e a Psicanálise contribuem para o Direito de Família e Sucessões.
“Nós podemos trazer para o Direito outra linguagem, fazer pontes em diversos aspectos”, diz.

Para ele, Arte e Direito são interpretações. “A arte vai além das palavras; ela abre espaço para a reflexão de uma maneira mais sublime de perceber o mundo. Arte e Direito convergem porque falam da mesma humanidade. A arte sabe antes.Eles – os artistas –já falaram aquilo há muito tempo, e já que eles estão na frente, vamos trazer essa arte para dentro do Direito para a gente evoluir, isso pode ajudar muito”, diz.

O advogado vai abordar diversos conceitos da Psicanálise, como inconsciente, gozo, desejo e pulsão para demonstrar como eles podem ajudar o Direito.

“Uma das expressões que eu mais gosto é a expressão “gozo”.Ela surge no século XV como uma expressão jurídica para nomear a ação de fazer uso de um bem.Foi então que Jacques Lacan, apartir da observação de processos judiciais, trouxe para a Psicanáliseessa expressão,essa noção que envolve satisfação pulsional e seu paradoxo com prazer e desprazer. O litígio judicial é uma forma de gozo.Já vi clientes que ficaram doentes, algumas morreram. Aquilo é um verdadeiro gozo. O “gozo” com o paradoxo do prazer e do desprazer tem apetite de morte, ele é mortífero.Por exemplo: um drogadito, um alcoólico, tudo isso é prazeroso e ao mesmo tempo mortífero. Sabendo disso, nós podemos trabalhar melhor essa relação com os clientes e, principalmente, não nos permitirmos ser instrumentos de gozo dessas pessoas”, diz.